Doações de sangue caem quase 60% no começo deste ano no Paraná e secretaria faz apelo

Redação - Douglas Souza



A Secretaria da Saúde do Paraná, por meio do Hemepar – Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná, orienta o público jovem e adulto para que faça sua doação de sangue antes de buscar a unidade de saúde para a imunização contra o sarampo e a febre amarela.

http://uploaddeimagens.com.br/images/002/470/976/original/ad.png?1572572410

É que depois de receber as doses das vacinas é preciso cumprir um intervalo de 30 dias sem doar sangue.


“Registramos uma queda nas doações junto ao Hemepar e por isso ressaltamos esta informação; os dois atos – o de se vacinar e o da doação – são fundamentais para a saúde e para a vida; então a necessidade do doador ajustar as duas importantes ações; é imprescindível estar imunizado e a doação é uma das maiores demonstrações de amor ao próximo”, explica o secretário da Saúde, Beto Preto.


Desde o mês passado o Hemocentro - Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná - vem registrando queda no número de doadores e a consequente redução do estoque de sangue e hemocomponentes.


Segundo a diretora do Hemepar, Liana Labres de Souza, no período de férias e de “pós-férias” é normal haver esta queda, mas neste ano vem sendo acentuada.


“E estamos com muitas demandas, principalmente envolvendo pacientes com dengue, que desenvolvem para processos hemorrágicos e que estão necessitando do uso concentrado de plaquetas”, disse Liana de Souza.

http://uploaddeimagens.com.br/images/002/459/425/full/pub02.png?1572306505

Estoque


Como exemplo, a diretora do Hemepar destacou que na semana que p0assou o Hemepar estava com apenas 5 bolsas de plaquetas enquanto que o normal é ter em estoque cerca de 19. “São necessárias 10 doações para uma bolsa/dose de plaqueta por aférese, processo que retira uma única célula do sangue total, usada em pacientes com sangramento devido à doenças como leucemia e anemia”.


Outro exemplo; normalmente são recebidos em média 120 doadores/dia, nesta semana a média foi em torno de 70, uma queda de quase 60%.


“Ainda não temos falta de sangue, mas estamos preocupados com a situação. Nosso apelo é para que o doador compareça, que um dos nossos 22 pontos de coleta no estado”, complementou Liana de Souza.


O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná é responsável pela coleta, armazenamento, processamento e distribuição de sangue para 385 hospitais públicos, privados e filantrópicos do Paraná.


Redação - Douglas Souza

Nenhum comentário